Hematoma, por Fellipe Fernandes

Fotografia: Fellipe Fernandes

Fotografia: Fellipe Fernandes

Teias e aranhas não me incomodam, mas tua vontade em me transformar em mosca, almoços de família e excesso de sorrisos, conversas fiadas e fidelidade ao crediário no qual tu transformaste nossa vida deitado sempre nos sofás de sábado ao tempo em que os carros lá fora anunciam o tempo e os outros, enquanto aqui dentro, diante do espelho, em mim vejo mais de ti rezando novenas, arrumando a cama, verificando a poeira que descansa sobre nosso fogo, o desamor, buscando ilusões que infeccionam o dia-a-dia e que colocam em risco a sanidade de nossas mãos em tardes de sol, quando toureiros pelo mundo driblam a morte e tu te entregas aos touros implorando a mim que te salve da areia e do sangue no chão em que plantas cebolas: as que colherás unicamente para que te brotem as lágrimas.